Marcação de Consulta: 71 3234.9399

Aumentar fonte: A+ A A-

Notícias

Como a alimentação interfere na saúde dos olhos?

Você sabia que a vitamina D é fundamental para a saúde ocular, evitando a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)? Além dela, a vitamina E também é importante, tanto na prevenção da DMRI como para postergar a catarata e proteger contra o mal de Parkison e mal de Alzheimer. Segundo a oftalmologista, Dra. Camila Koch, “a luteína e a zeaxantina, os carotenoides que encontramos na retina e a ingestão de alimentos ricos nesses antioxidantes podem ajudar a manter uma boa visão. Podemos obtê-los ingerindo alimentos como gema de ovo, vegetais verde- escuros e legumes amarelo-alaranjados”. De fato, uma alimentação cuidadosa e balanceada é fundamental para uma boa saúde dos olhos. Conforme afirma Luciana Rocha, uma alimentação balanceada, “é uma alimentação equilibrada em nutrientes tanto na qualidade como na quantidade, para suprir as necessidades de cada indivíduo, sem falta ou excessos”. Confira a entrevista completa. 



























- É verdade que os baixos índices de vitaminas D e E podem afetar a saúde ocular? Quais doenças estão relacionadas com essa deficiência? 

Dra. Camila Koch - Nossos olhos sofrem muito com as hipovitaminoses, não somente da D e E, mas também B, C, A, complexo B.  A vitamina D é fundamental para manter os níveis adequados de cálcio no corpo e sua hipovitamisose é encontrada principalmente em pessoas que não se expõem ao sol ou com problemas na dieta. Sua deficiência está relacionada com a Degeneração Macular Relacionada a Idade (DMRI). Estudos comprovam que o consumo diário de 18 microgramas de vitamina D diminui, em 60%, o risco de desenvolver a doença, sendo hoje a suplementação vitamínica parte do tratamento. A DMRI é hoje a principal causa de cegueira em idosos nos países desenvolvidos.  A vitamina E é fundamental contra os danos oxidativos em nossas células. Também é usada no tratamento da DMRI, além de ser importante para postergar a catarata e proteger contra o mal de Parkison e mal de Alzheimer. Podemos encontrar a vitamina E em nozes, leite, trigo, vegetais verdes, óleos vegetais e gema de ovo.


- Como a alimentação pode interferir, seja de forma positiva ou negativa, na saúde ocular?

Dra. Camila Koch - Uma alimentação balanceada, rica em frutas, verduras e legumes é indispensável para o bem-estar do nosso corpo, inclusive para nossos olhos. Devemos evitar dietas ricas em gorduras saturadas, carnes vermelhas e açúcares sabidamente maléficas à saúde. Como exemplo, posso citar a Luteína e a Zeaxantina, os carotenoides que encontramos na retina e a ingestão de alimentos ricos nesses antioxidantes podem ajudar a manter uma boa visão. Podemos obtê-los ingerindo alimentos como gema de ovo, vegetais verde-escuros e legumes amarelo-alaranjados. Outra doença ocular muito frequente é a catarata, uma opacidade da lente do nosso olho que podemos postergar o seu aparecimento com uma alimentação rica em glutamina, vitaminas D, C e E, ácido úrico, betacarotenos e flavonoides. Por outro lado, a glicemia elevada acelera o surgimento da catarata. 

- É verdade que a absorção de ômega 3 contribui para uma boa saúde ocular?

Dra. Camila Koch - Sim. Ele protege contra a síndrome do olho seco e degeneração macular relacionada à idade, além de diversos outros benefícios já comprovados à saúde. O olho seco devido à disfunção lacrimal pode causar sintomas desconfortáveis como olhos vermelhos, visão borrada, lacrimejamento levando à diminuição da qualidade de vida. A dieta ou suplementação do ômega 3 é, inclusive, parte do tratamento dessa doença. Pelo fato de nosso organismo não produzir o ômega 3, temos que ingerir alimentos ricos nesse ácido graxo, encontrado em peixes de águas profundas, castanha, avelã, óleo de linhaça, vegetais verdes como brócolis, rúcula, couve e espinafre, ou ingestão de cápsulas manipuladas. No caso da DMRI foi comprovado que ele, além de prevenir o aparecimento da doença, evita a progressão desacelerando as alterações, sendo, hoje, recomendado no tratamento. 


- Por que o descontrole da diabetes pode levar à cegueira?

Dra. Camila Koch - O diabetes mellitus (DM) é uma doença crônica que afeta tardiamente toda a microcirculação do nosso corpo e, no aparelho ocular, acomete principalmente a retina. Em torno de 70% dos pacientes diagnosticados, há mais de 20 anos, tem sofrimento dos vasos da retina. A doença se caracteriza por alterações microscópicas nas paredes dos vasos podendo levar a complicações no fundo do olho como hemorragias nas camadas da retina e edema, assim como outros achados que podem levar à perda de visão parcial ou total.  Entre os fatores de risco para progressão da retinopatia diabética (RD) e, associado ao pior prognóstico da doença, está o mau controle glicêmico. O tratamento dependerá da gravidade da RD, mas, independentemente do estágio da doença, é fundamental um auxílio multidisciplinar com nutricionista e endocrinologista para controle da glicemia, colesterol e triglicerídeos. 




- Como a alimentação pode auxiliar em uma boa saúde ocular?

Luciana Rocha - Existem muitos alimentos e os nutrientes contidos neles ajudam a prevenir o aparecimento de doenças oculares ou, até mesmo, a atenuar sintomas e a progressão das doenças. Dessa maneira, uma alimentação equilibrada, rica em alimentos saudáveis, pode ajudar a preservar a saúde dos olhos.


- Qual o papel das vitaminas D e E na manutenção de uma boa saúde dos olhos?

Luciana Rocha - Alguns estudos comprovam que a vitamina D é responsável pela boa circulação sanguínea levando um aporte ideal de oxigênio para a retina, ou seja, mantém as células sadias e funcionantes. Lembrando que a absorção de vitamina D depende da exposição ao sol, é importante consultar um médico e verificar se há necessidade de suplementação.

A vitamina E, por sua vez, tem um papel antioxidante importante, pois ela protege a membrana das células contra os radicais livres, subprodutos do metabolismo que podem gerar danos ao corpo. Assim, um consumo adequado de alimentos fontes de vitamina E parece ajudar na prevenção da catarata e, também, da degeneração das células da mácula.


- Por que o consumo de alimentos fonte de ômega 3 é incentivado para a manutenção da saúde ocular?

Luciana Rocha - O ômega 3 tem um grande potencial anti-inflamatório que protege a retina e pode ajudar a retardar o aparecimento de doenças como a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), pois preserva os pequenos vasos sanguíneos que irrigam os olhos. Além disso, melhora a lubrificação dos olhos, atenuando ou prevenindo a “síndrome do olho seco” que é muito comum. O ômega 3 está presente na retina dos olhos e, por isso, é importante o seu consumo para que seja renovado. 


- O consumo de gorduras em excesso pode contribuir para problemas na saúde dos olhos?

Luciana Rocha - Pode sim. Sabe-se que o consumo de gorduras em excesso pode levar a diversas doenças, como obesidade, hipertensão, além de contribuir para acelerar o aparecimento de doenças como a DMRI, a catarata e a “síndrome do olho seco”.


- Por que consumir muito açúcar prejudica o paciente com diabetes - que pode levar à perda da visão?

Luciana Rocha - O paciente com diabetes precisa fazer um controle dos níveis de açúcar sanguíneo, além também de controlar a ingestão de alimentos ricos em carboidratos (que são os açúcares), principalmente quando se trata dos ricos em açúcar refinado (bolos, pães brancos, cereais refinados, biscoitos, doces). 

Quando o indivíduo diabético consome altas quantidades de carboidratos, pode haver uma descompensação dos níveis de glicose sanguíneo, levando à hiperglicemia (nível elevado de glicose no sangue). Se a hiperglicemia acontece com frequência, pode levar a retinopatia diabética, quando ocorre uma série de complicações, como fragilidade dos vasos sanguíneos oculares, hemorragias, edema, entre outras, que podem levar à perda parcial ou total da visão, se não for tratada. 


- Quais dicas alimentares você daria para a manutenção de uma boa saúde dos olhos?

Luciana Rocha - A principal dica é manter uma alimentação adequada na quantidade e na qualidade dos alimentos consumidos desde a idade mais jovem, pois, assim, é possível prevenir desde cedo o desenvolvimento de doenças oculares.

É importante aumentar o consumo de frutas e verduras. Consumir mais alimentos fontes de vitamina A ou carotenoides, como os vegetais folhosos verdes e os alimentos de cor amarelada ou alaranjada, como a cenoura e o mamão. Essas substâncias são importantes para a visão noturna, além de proteger o sistema imunitário. Aumentar também o consumo de alimentos fontes de ômega 3, como os peixes de águas profundas (sardinha, salmão), óleo de linhaça e azeite de oliva.  

Consumir alimentos fontes de vitaminas antioxidantes como a vitamina E, presente no gérmen de trigo, cereais integrais, óleos vegetais e vegetais de folhas verde-escuro e a vitamina C, presente na laranja, limão, acerola, entre outros. E também alimentos fontes de vitamina D, como derivados de leite, peixe e fígado.

O consumo do ovo, milho e espinafre também é indicado por ser fonte de luteína e zeaxantina, substâncias que auxiliam na prevenção da evolução da degeneração macular. Mas é importante, que o ovo seja consumido preferencialmente cozido e que sejam monitorados os níveis de colesterol sanguíneo.

Utilizar alho e cebola, preferencialmente crus, também é muito indicado, pois esses alimentos possuem substâncias que dilatam os vasos sanguíneos, diminuem a pressão arterial e previnem contra o glaucoma.

De maneira geral, esses são os principais alimentos para manter uma boa saúde ocular ou diminuir a progressão das doenças, lembrando sempre de que todos os alimentos precisam ser consumidos nas quantidades adequadas a cada indivíduo. E, por isso, o papel do nutricionista é fundamental para que haja a indicação de uma dieta balanceada e saudável.